05 julho 2008

Oldboy

Oldboy é um filme coreano, Impossível de se definir em uma única frase, o filme é surpreendente e intrigante do inicio ao final, consegue unir em 119 minutos, questões como vingança, amor, ultra-violência, o tempo, a crise da vida moderna, a hipnose e obstinação.

Publicado em nove volumes, em 1997, e vencedor do Grande Prêmio do Júri em Cannes, “Oldboy” é o segundo capítulo da “Trilogia da Vingança”, do diretor Chan Wook Park (o primeiro é “Simpatia pelo Sr.Vingança”).

Apesar da corrente comparação com os filmes do Tarantino, o filme tem uma forte carga de filosofia oriental, que tem essa forma peculiar de demonstração de honra, sofrimento, luta, superação, dever e dor. Já muito bem retratado em inúmeras obras orientais cujas Tarantino se baseou para criar seus filmes.

Merecem destaque também as seqüências de ação. Sem firulas, são extremamente cruas. A melhor delas evoca os jogos com "side scroll" do Nintendo. Nela, Dae Su esmurra vinte capangas com um martelo em um plano-seqüência lateral. Bem-humorada e um tanto tosca até, a cena não tem a beleza plástica de um Kill Bill, mas entra para a história como uma das mais legais já realizadas.

Curiosamente, Chanwook era estudante de filosofia antes de seguir carreira como cineasta. A opção prévia se esconde no fundo de seu pesadelo pop numa discussão subversiva sobre moral e responsabilidade.


Ficha Técnica
Título Original: Oldboy
Gênero: Suspense
Tempo de Duração: 120 minutos
Ano de Lançamento (Coréia do Sul):
2004
Direção: Park Chan-wook
Roteiro: Park Chan-wook, Hwang Jo-yun e Lim Joon-hoon , baseado em mangá de Tsuchiya Garon e Minegishi Nobuaki

Elenco
Choi Min-sik (Oh Dae-su)
Yoo Ji-tae (Lee Woo-jin)
Gang Hye-jung (Mido)
Chi Dae-han (No Joo-hwan)
Oh Dal-su Park (Cheol-woong)
Kim Byoung-ok (Mr. Han)
Lee Seung-shin (Yoo Hyun-ja)
Oh Gwang-rok (Suicida)

Um comentário:

Joice disse...

O Filme por inteiro se mostra uma sequencia de surpresas e indagações e o final é simplesmente surpreendente. um tanto quanto "olho por olho, dente por dente". Mas é inegavelmente uma obra prima, caracterizando bem a força dos valores orientais. Honestamente, gostei mt desse filme =).