18 janeiro 2010

A fratrernidade é vermelha



Esse filme é a terceira parte da Trilogia das Cores do diretor polonês Krzystof Kieslowski. A primeira (já postada aqui) é “A liberdade é azul” e a segunda parte é a “A igualdade é branca”. O primeiro é um drama e o segundo é um drama/comédia, pelo menos eu dei algumas risadas então o considero uma comédia. Partindo pra terceira parte, vermelha, nós temos um drama muito bem escrito. Daquelas histórias peculiares, com personagens diferentes, ou um personagem que chama toda a atenção. É o que acontece nesse filme. A personagem principal, Irene Jacob, tem um emprego de modelo e um belo dia ela sem querer atropela um cachorrinho que posteriormente irá descobrir que pertence a um juiz aposentado. É nessa hora que a história fica interessante, ela conhece esse tal juiz e percebe que ele tem um hábito muito estranho de observar seus vizinhos, e a princípio o que parece ser algo absurdo se torna uma amizade forte com um final que consegue “juntar” as três partes da trilogia.
Dos três filmes, o terceiro é o que agrada a maioria das pessoas, as três partes são boas, mas para mim e para muitos a terceira é a melhor.


Ficha Técnica:
Título Original: Trees Couleurs Rouge
Duração: 99 minutos
Ano de Lançamento: 1994
Gênero: Drama
Diretor: Krzystof Kieslowski

Elenco:
Irene Jacob
Jean-Louis trintignant
Frederique Feder
Jean-Pierret Lorit

3 comentários:

Diana disse...

Gosto mais da azul, mas é o único da trilogia que eu não tenho rs

_fanot disse...

você só pode tá de brincadeira comigo. vi a trilogia das cores pela primeira vez no carnaval do ano passado. Esse final de semana achei nas americanas, e ainda tinha uma promoçao de levar 3 dvds por 26 reais. Comprei e vi de novo, exatamente no dia 18, data deste post!

_fanot disse...

ah e o que eu gosto mais é o branco, embora a trama do vermelho tambem seja interessante